fevereiro5 , 2023

    Kanban

    Relacionados

    Utilizando o universo de Star Wars para compreender a filosofia do Shu-Ha-Ri como método de aprendizagem

    A evolução é um processo importante na vida de um profissional. Estar sempre buscando a melhoria contínua para cada vez mais obter conhecimento e experiência é inclusive um valor da cultura ágil, e o Shu-Ha-Ri vem totalmente de encontro!

    Considere tudo de uma vez

    Esta técnica de visualização de ter tudo diante de nós ao mesmo tempo, pode ser de grande valor quando pensamos em síntese criativa e em Design Sprints.

    Insights, perguntas, ideias (IQI)

    Insights, Questions, Ideas (IQI, pronunciado “icky”), desenvolvido pela Sudden Compass®, é uma forma estruturada de analisar pontos de dados de forma colaborativa.

    Compartilhar

    Vamos falar de um dos métodos mais conhecidos, principalmente por quem conhece o Sistema Toyota de Produção. Foi como parte do sistema onde se deveria controlar estoque de materiais, que o Kanban nasceu.

    Na década de 60, os japoneses criaram um quadro com colunas e cartões coloridos para que pudessem controlar o estoque de materiais para não exceder nem faltar produtos, provocando um equilíbrio entre o estoque e a linha de produção.

    Hoje, o método se tornou uma ferramenta universal para gestão de tarefas. Mas afinal, o que é o Kanban?

    O que é Kanban?

    Oriunda do Japão, o termo significa “cartão”, e recebeu este nome pela sua criadora, a Toyota. Ele nada mais é do que um um sistema ágil e visual para controle de produção ou gestão de tarefas.

    Qual é a proposta do Kanban?

    Quais os tipos de Kanban?

    Há dois tipos de Kanban:

    Kanban de Produção

    Este talvez seja o tipo mais utilizado nas empresas. Consiste em uma gestão de atividades. É separado por três colunas: A Fazer, Em Execução e Feito. Nada impede que outras colunas possam ser criadas de acordo com a necessidade.

    Cada uma dessas colunas possuirá cartões que ilustrarão as atividades em movimento do time de acordo com o fluxo que está sendo trabalhado. Abaixo podemos ver uma imagem que poderá ilustrar melhor:

    Kanban de Movimentação

    Este segundo tipo é mais comum no setor industrial. Ele basicamente consiste em uma gestão de controle e acompanhamento. Não há um “padrão” a ser seguido, já que cada coluna é criada de acordo com a necessidade da empresa.

    Nestas colunas, geralmente separadas por produtos ou segmentos de produtos, os cartões podem corresponder à produção e o controle de entrada e saída dos produtos. Abaixo temos um exemplo ilustrativo:

    Como funciona?

    Inicialmente o Kanban Board foi utilizado como um item físico, mas hoje temos várias ferramentas online que oferecem um leque de funcionalidades para complementar o quadro. Eu particularmente prefiro utilizar o quadro físico, já que considero que o Kanban tem um proposta bastante visual, onde o time estará sempre de olhos nos cartões.

    Independente de ser digital ou físico, ele se divide em três partes:

    Quadro

    Este é simplesmente a base. Onde as colunas e os cartões estarão disponíveis. Um time poderá ter um ou mais quadros, dependendo da necessidade.

    Coluna

    Esta parte vai variar um pouco dependendo do tipo de Kanban estamos trabalhando.

    Quando é o modelo de produção, cada coluna corresponde a um status do fluxo de entrega. Mas quando estamos falando do modelo de movimentação, cada coluna pode ser, por exemplo, um produto diferente.

    Cartão

    O item de movimentação do quadro, as tarefas. Para organizar e facilitar a leitura, usa-se cartões de várias cores para que também possa ilustrar por exemplo, o nível de prioridade, categoria da tarefa, o responsável… Por aí vai.

    Artigo anterior
    Próximo artigo